Blog destinado a pintura de miniaturas e cenários; adaptados, customizados ou imitados (estilo Scratch-Building); relativo a fantasia medieval que utilizo em minhas aventuras.

Convido a todos, que gostem de customizar miniaturas de RPG de fantasia medieval, que me contate para postar!

e-mail: alanluiz2@gmail.com

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Sala de Tortura

Escondida no calabouço da cidade, a pesada porta de ferro abafa gritos dantescos dos infelizes capturados.




Esta peça é o Kit Sala de Tortura, da Kimeron. A coleção inclui, além das mobílias de tortura que aparecem na foto, uma guilhotina. Achei inadequado que um objeto destinado a execução estivesse em uma sala de tortura (na hipótese de matar o torturado por um motivo qualquer, bastaria usar o machado no toco de madeira...rs). Preferi separar a guilhotina para compor outra peça, como uma praça pública.

Além do kit de tortura, utilizei a porta de ferro de uma coleção mais antiga: imagino que a sala da tortura deva ter uma porta assim para eventuais fugitivos e suas tentativas de arrombamento - inclusive tentei ressaltar isso na pintura metálica da porta com os seus amassados.

OLIVEIRA, Cinésio. Kit sala de tortura. Goiânia: Kimeron Miniaturas, 2016.

OLIVEIRA, Cinésio. Porta de ferro. Goiânia: Kimeron Miniaturas, 2011.

Amassa, corta, rotina...

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Observador (Beholder)

O temível olho tirano. A fera infame. Sua mera presença aberrante causa odiosas alterações no ambiente, o reflexo da loucura e do caos.


Esta peça, apesar de descontinuada pela Kimeron Miniaturas, terá uma nova versão a ser lançada no último financiamento coletivo KimeronMiniaturas - Catarse, encerrado em fevereiro de 2018. Mas, ela estará disponível futuramente para compra avulsa.

OLIVEIRA, Cinésio. Beholder. Goiânia: Kimeron Miniaturas, 2011.

A magia funcionará?

domingo, 24 de junho de 2018

Lobisogro (Ogre werewolf)


A maldição da licantropia não afeta apenas os homens: um ogro mordido por um lobisomem pode adquirir esse mesmo mal, dando origem a uma abominação apelidada pelos temerosos como o lobisogro, um ser que soma a brutalidade dos ogros com a selvageria dos lupinos.

Esta é uma miniatura da empresa Forja Profana, em breve, para a comercialização:

WOLOSZYN, Boris. Capitão Fedon. Rio de Janeiro: Forja Profana, 2017.




Capitão Fedon é uma peça de 36mm, peça particularmente grande perante as usuais minis de 28mm que possuo em minha coleção. Achei adequado, por uma questão de escala, torná-la uma miniatura de criatura grande ao invés de média (a proposta inicial da fabricante é que Capitão Fedon fosse uma miniatura média). Por conta disso que achei esta uma peça muito adequada para compor o lobisogro. Também é ótima para um lorde lobisomem.

Pode o carrasco do barão sobreviver e contar esta história?

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Devorador de mentes nobre (Mind flayer, ulitharid)

Os devoradores de mentes são tiranos psiônicos escravistas sugadores de cérebros. Suas cabeça e face de polvo escondem inteligências alienígenas capazes de dominar mentes de outras criaturas inteligentes tornando-as extensões de suas vontades.

Os devoradores de mentes nobres são os tiranos psiônicos dos devoradores de mentes.

Mais poderosos que os seus irmãos normais, são por eles reverenciados, mesmo os vendo como bênçãos quando presentes em suas cidades subterrâneas.

Um devorador nobre é bem maior que a maioria dos devoradores normais (que medem de 1,70m a 1,80): os nobres alcançam facilmente os 2,40m, mas podem ser ainda maiores. Costumam ter também mais do que os 4 tentáculos do normais de sua espécie. Sua maior diferença, contudo, são seus controle psíquicos extremamente avançados.

Este nobre exibe um bizarro cajado feito de tecido cerebral retorcido, pulsante, vivo, carregado de impulsos neurais, que exibe em sua ponta um aberrante olho vivente olhando para direções incompreensíveis ao olhar do olho humano comum  - ele vê coisas além da imaginação. Ainda, em suas mãos, um tomo com registros na estranha língua escrita do devoradores de mente: uma espécie de "braile" capaz de ser lida apenas com quatro tentáculos ao mesmo tempo tateando por sobre a escrita.

Esta é uma das miniaturas que estão em financiamento coletivo pela Forja Profana e que tive a oportunidade de proceder pintura. Abaixo a referência:

WOLOSZYN, Boris. Spillihp Drawoh. Rio de Janeiro: Forja Profana, 2017.



Um elfo sombrio e um devorador de mentes, ambos com fortes poderes sobrenaturais, lutarão até a morte.

A linha de miniaturas de tamanho médio possui medida 32mm, o que facilita a pintura especialmente para iniciantes. Outro detalhe de nota é a quase ausência de linhas de molde, que poupa bastante tempo no preparo pré-pintura.

Achei interessante pintar essa mini numa cor illithid padrão. Ao imaginar uma maneira de pintar o livro nas mãos de Spillihp, foi conveniente ter pesquisado no D&D a escrita qualith; pois sua forma lembram diversas linhas parecidas com uma "linguagem binária" - o que facilita a pintura sem a perda do conceitual da mini. O mais curioso foi a pintura do cajado: me veio essa ideia de trabalhar cérebros retorcidos com um olho estranho ao viajar nas formas da peça; creio ter conseguido o intuito, mas o resultado me pareceu mais uma pintura fitness do Gyodai (da série japonesa Changeman)...rs. Apliquei uma mão de resina para na pele e no cajado, mas confesso que ficou bom apenas no cajado, apagando alguns detalhes de pintura da pele do devorador de mentes.


Lembrem-se leitores do blog: esta e muitas outras miniaturas de qualidade podem ser suas. Basta participarem do financiamento coletivo da Forja Profana. Falta pouco para acabar o financiamento. Não deixem essa linha passar!

sábado, 20 de maio de 2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Javali-matilha (Pack-boar)

Javalis de um tipo mais agressivo, os matilhas são hábeis caçadores que abusam de longas pernas em perseguição de presas do tamanho de alces e não raro de outros predadores como carcajus e felinos médios, mesmo que isso acarrete perdas de membros da vara. Isso só aumenta o volume de comida.

Claro, vegetais e carniça são bem vindos, assim como goblins perdidos nas floresta temperadas e úmidas.

OLIVEIRA, Cinésio. Javali. Goiânia: Kimeron Miniaturas, 2011.



 Talvez seu ímpeto violento só se curve mesmo perante aos clérigos da deusa da natureza.

sábado, 6 de maio de 2017

Forja anã (Dwarf forge)

Forjas anãs são um verdadeiro laboratório metalúrgico, mais completas que quaisquer forja citadina. Localizada em seus reinos subterrâneos escavados na pedra, suas paredes são engenhosamente construídas com numerosas saídas de ar para o expelir a fumaça. Numerosas forjas anãs se conectam de modo a eclodirem em grandes chaminés anãs.

Esta peça é o Kit forjaria da Kimeron. Dada a riqueza de detalhes, não poderia usar essas peças para compor uma forja medieval comum: achei digno montar um chão subterrâneo e uma história para ambientar esta magnífica peça.

OLIVEIRA, Cinésio. Kit forjaria. Goiânia: Kimeron Miniaturas, 2016.












sexta-feira, 28 de abril de 2017

Executor (Executioner)

Em toda comunidade há alguém com a tarefa difícil(?) de realizar as funções de executor e carrasco  dos condestáveis.

Esta miniatura pode ser obtida na Kimeron Miniaturas, mais especificamente, aqui.

Abaixo, a referência bibliográfica e as fotos.

OLIVEIRA, Cinésio. Ferum, o carrasco. Goiânia: Kimeron Miniaturas, 2016.